quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Atenção Pais, responsáveis, educadores:Seus filhos têm limites? Por que? Lembre-se ele não aprenderá sózinho.Você tem que aplicar limites. Como aplicar limites aos filhos


COMO APLICAR LIMITES AOS FILHOS

As crianças precisam de limites. Como educar com disciplina nossos filhos. Uma disciplina eficaz na hora de aplicar limites aos nossos filhos é o mais importante. Se apresentamos uma boa regra, nosso filho estará disposto a cumpri-la porque o que eles querem é nos agradar.
Não estamos preparados para estabelecer limites. alta-nos habilidade para fazê-lo. Falamos demais, exageramos na emoção, e em muitos casos, equivocamo-nos na nossa forma de expressar com clareza e demasiada autoridade. Quando necessitamos dizer aos nossos filhos que devem fazer algo e “agora” (recolher os brinquedos, ir para a cama, etc.), devemos ter em conta alguns conselhos básicos:

Devemos ter objetividade

É frequente ouvir de nós mesmos e de outros pais, expressões como “comporte-se bem”, “seja bom”, ou “não faça isso”. As expressões significam diferentes coisas para diferentes pessoas. Nossos filhos nos entenderão melhor se dermos nossas ordens de uma forma mais concreta. Um limite bem específico diz a uma criança exatamente o que deve ser feito. “Fale baixinho na biblioteca”; “Dê de comer ao cachorro agora”; “Segure na minha mão para atravessar a rua”. Esta é uma forma que pode aumentar substancialmente a relação de cumplicidade com seu filho.

Ofereça opções

Em muitos casos podemos dar aos nossos filhos uma oportunidade limitada de dizer como cumprir suas ordens. A liberdade de oportunidade faz com que uma criança sinta uma sensação de poder e controle, reduzindo as resistências. Por exemplo: “É hora do banho. Você quer tomar banho quente ou frio?”; “Está na hora de se vestir. Você escolhe sua roupa ou quer que eu escolha?”. Esta é uma forma mais fácil e rápida de dizer a uma criança exatamente o que fazer.

Sejam firmes

Em questões realmente importantes, quando existe uma resistência à obediência, necessitamos aplicar a disciplina com firmeza. Uma disciplina firme diz a uma criança que ela deve parar com tal comportamento e obedecer suas ordens imediatamente. Por exemplo: “Vá para o seu quarto agora”, ou “Pare! Os brinquedos não são para atirar”. Os limites firmes são melhor aplicados com uma voz segura, sem gritos, e um sério olhar no rosto. Os limites mais suaves supõem que a criança tem opção de obedecer ou não. Exemplos de limites leves: “Por que não leva seus brinquedos para fora daqui?”; “Você deve fazer as tarefas da escola agora”; " Venha pra casa agora, está bem?” e “Eu realmente gostaria que se limpasse”. Esses limites são apropriados para momentos quando se deseja que a criança aja num certo caminho. De qualquer modo, para essas poucas obrigações, “deve estar feito”, você será melhor cúmplice do seu filho se lhe aplica uma ordem firme. A firmeza está entre o suave e o autoritário.

Acentue o positivo

Os meninos são mais receptivas em fazer o que lhes ordenam. Ordens como “não”, ou “pare” dizem a uma criança o que é inaceitável, mas não explica que comportamento realmente gostaria. Em geral, é melhor dizer a uma criança o que deve fazer (“Fale baixo”) antes do que não deve fazer (“Não grite”). Pais autoritários dão mais ordens “não”, enquanto os demais estão propensos a dar a ordem de “fazer”.

Mantenham-se à margem

Quando dizemos “quero que vá pra cama agora mesmo”, estamos criando uma luta de poder pessoal com nossos filhos. Uma boa estratégia é fazer constar a regra de uma forma impessoal. Por exemplo: “São 8 horas, hora de se deitar” e lhes ensine as horas. Neste caso, alguns conflitos e sentimentos estarão entre a criança e o relógio.

Explique o porquê

Quando uma pessoa entende o motivo de uma regra, como uma forma de prevenir situações perigosas para si mesmas e para outros, se sentirá mais animada a obedecê-la. Deste modo, quando se aplica um limite, deve-se explicar à criança o porque tem que obedecer. Entendendo a razão para a ordem, ajuda as crianças a desenvolverem valores internos de conduta ou comportamento – uma consciência. Antes de dar uma longa explicação que pode distrair as crianças, manifeste a razão em poucas palavras. Por exemplo: “Não morda as pessoas. Isso vai machucá-las”; “Se você joga fora os brinquedos das outras crianças, elas se sentirão tristes porque elas ainda vão querer brincar com eles”.

Sugira uma alternativa


Sempre que aplicar um limite ao comportamento de uma criança, tente indicar uma alternativa aceitável. Por fazê-lo, soará menos negativo e seu filho se sentirá menos em desvantagem. Deste modo, empenhe-se em dizer: “Não sei se você gostaria do meu batom, mas isso é para os lábios e não para brincar. Aqui você tem um lápis e um papel em troca”. Outro exemplo seria dizer: “Não posso te dar um caramelo antes da janta, mas posso te dar um sorvete de chocolate depois”. Oferecendo-lhe alternativas, a estará ensinando que seus sentimentos e desejos são aceitáveis. Este é um caminho de expressão mais correto.

Seja seriamente consistente

Uma regra concreta de limite é evitar uma ordem repetitiva. Uma rotina flexível (dormir às 8 da noite, às 8 e meia na próxima, e às 9 na outra noite) é um convite à resistência e se torna impossível se cumprir. Rotinas e regras importantes na família deveriam ser efetivas dia após dia, ainda que esteja cansado ou indisposto. Se você dá ao seu filho a oportunidade de contornar as suas regras, eles seguramente tentarão resistir.

Desaprove a conduta, não a criança

É necessário que deixemos claro para nossos filhos que nossa desaprovação está relacionada ao seu comportamento e não diretamente a eles. Não os estamos rejeitando. Longe de dizer “Criança má” (desaprovação da criança). Deveríamos dizer: “Não morda” (desaprovação da conduta). Em lugar de dizer “realmente não posso te controlar quando você age dessa maneira”, deveríamos dizer: “Essas latas não são para jogar fora. Devem permanecer na prateleira do armário”.

Controle as emoções

Os especialistas dizem que quando os pais estão muito irritados, castigam mais severamente e são mais propensos a ser verbamente e/ou físicamente abusivos com seus filhos. Existem fases que necessitamos agir com mais calma e contar até dez antes de agir. A disciplina é basicamente ensinar a criança como deve se comportar. Não se pode ensinar com eficiência se você é extremamente emocional. Diante de um mal comportamento, o melhor é respirar por um minuto e depois perguntar com calma: “o que aconteceu aqui?”. Todas as crianças necessitam que seus pais estabeleçam regras de conduta para o comportamento aceitável. Quanto mais mestres em aplicarmos os limites, maior será a cooperação que receberemos dos nossos filhos e menor será a necessidade de aplicar as disciplinas desagradáveis para que se cumpram. O resultado é uma atmosfera caseira mais agradável para os pais e filhos.
(Autor: Charles E. Schaefer, Ph.D., é um professor de psicologia e diretor do  Centro de Servicios Psicológicos na Universidad de Fairleigh Dickinson. É  autor de mas de 40 livros, incluindo "Teach your child to behave disciplining with love from 2 to 8 years". – “Ensine sua criança a se comportar, disciplinando-a com amor dos 2 aos 8 anos”)
Muitas crianças e até mesmo adultos são rejeitados por não terem limites, e eles não têm porque ninguém deu a eles, ninguém os ensinou, então "pais, responsáveis, educadores etc"não espere o mundo rejeitar seus filhos ensine, aplique limites, para que ele tenha um futuro saudável.



terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Rei ACAZ - O que pode estar causando seu fracasso ou de um dos seus? Acaso tens provocado a ira do SENHOR?




PROVOCANDO A IRA NO SENHOR

Rei Acaz-2 Crônicas 28




  • Tinha Acaz vinte anos de idade, quando começou a reinar, e dezesseis anos reinou em Jerusalém; e não fez o que era reto aos olhos do SENHOR, como Davi, seu pai.
  • Antes andou nos caminhos dos reis de Israel, e, além disso, fez imagens fundidas a Baalins.
  • Também queimou incenso no vale do filho de Hinom, e queimou a seus filhos no fogo, conforme as abominações dos gentios que o SENHOR tinha expulsado de diante dos filhos de Israel.
  • Também sacrificou, e queimou incenso nos altos e nos outeiros, como também debaixo de toda a árvore verde.
  • Por isso o SENHOR seu Deus o entregou na mão do rei dos sírios, os quais o feriram, e levaram dele em cativeiro uma grande multidão de presos, que trouxeram a Damasco; também foi entregue na mão do rei de Israel, o qual lhe infligiu grande derrota.
  • Porque Peca, filho de Remalias, matou em Judá, num só dia, cento e vinte mil, todos homens valentes; porquanto deixaram ao SENHOR Deus de seus pais.
  • E Zicri, homem valente de Efraim, matou a Maasias, filho do rei, e a Azricão, o mordomo, e a Elcana, o segundo depois do rei.
  • E os filhos de Israel levaram presos de seus irmãos duzentos mil, mulheres, filhos e filhas; e também saquearam deles grande despojo, que levaram para Samaria.
  • Mas estava ali um profeta do SENHOR, cujo nome era Obede, o qual saiu ao encontro do exército que vinha para Samaria, e lhe disse: Eis que, irando-se o SENHOR Deus de vossos pais contra Judá, os entregou na vossa mão, e vós os matastes com uma raiva tal, que chegou até aos céus.
  • E agora vós cuidais em sujeitar a vós os filhos de Judá e Jerusalém, como cativos e cativas; porventura não sois vós mesmos culpados contra o SENHOR vosso Deus?
  • Agora, pois, ouvi-me, e tornai a enviar os prisioneiros que trouxestes cativos de vossos irmãos; porque o ardor da ira do SENHOR está sobre vós.
  • Então se levantaram alguns homens dentre os cabeças dos filhos de Efraim, a saber, Azarias, filho de Joanã, Berequias, filho de Mesilemote, Jeizquias, filho de Salum, e Amasa, filho de Hadlai, contra os que voltavam da batalha.
  • E lhes disseram: Não fareis entrar aqui estes cativos, porque, além da nossa culpa contra o SENHOR, vós intentais acrescentar mais a nossos pecados e a nossas culpas, sendo que já temos grande culpa, e já o ardor da ira está sobre Israel.
  • Então os homens armados deixaram os cativos e o despojo diante dos príncipes e de toda a congregação.
  • E os homens que foram apontados por seus nomes se levantaram, e tomaram os cativos, e vestiram do despojo a todos os que dentre eles estavam nus; e vestiram-nos, e calçaram-nos, e deram-lhes de comer e de beber, e os ungiram, e a todos os que estavam fracos levaram sobre jumentos, e conduziram-nos a Jericó, à cidade das palmeiras, a seus irmãos. Depois voltaram para Samaria.
  • Naquele tempo o rei Acaz mandou pedir aos reis da Assíria que o ajudassem.

  • Porque outra vez os edomitas vieram, e feriram a Judá, e levaram presos em cativeiro.
  • Também os filisteus deram sobre as cidades da campina e do sul de Judá, e tomaram a Bete-Semes, e a Aijalom, e a Gederote e a Socó, e os lugares da sua jurisdição, e a Timna, e os lugares da sua jurisdição, e a Ginzo, e os lugares da sua jurisdição; e habitaram ali.
  • Porque o SENHOR humilhou a Judá por causa de Acaz, rei de Israel; porque este se houve desenfreadamente em Judá, havendo prevaricado grandemente contra o SENHOR.
  • E veio a ele Tiglate-Pileser, rei da Assíria; porém o pôs em aperto, e não o fortaleceu.
  • Porque Acaz tomou despojos da casa do SENHOR, e da casa do rei, e dos príncipes, e os deu ao rei da Assíria; porém não o ajudou.
  • E ao tempo em que este o apertou, então ainda mais transgrediu contra o SENHOR, tal era o rei Acaz.
  • Porque sacrificou aos deuses de Damasco, que o feriram e disse: Visto que os deuses dos reis da Síria os ajudam, eu lhes sacrificarei, para que me ajudem a mim. Porém eles foram a sua ruína, e de todo o Israel.
  • E ajuntou Acaz os utensílios da casa de Deus, e fez em pedaços os utensílios da casa de Deus, e fechou as portas da casa do SENHOR, e fez para si altares em todos os cantos de Jerusalém.
  • Também em cada cidade de Judá fez altos para queimar incenso a outros deuses; assim provocou à ira o SENHOR Deus de seus pais.
  • Ora, o restante dos seus atos e de todos os seus caminhos, tanto os primeiros como os últimos, eis que estão escritos no livro dos reis de Judá e de Israel.
  • E dormiu Acaz com seus pais, e o sepultaram na cidade, em Jerusalém; porém não o puseram nos sepulcros dos reis de Israel; e Ezequias, seu filho, reinou em seu lugar.

A IRA DO SENHOR DEUS FOI PROVOCADA PORQUE? O QUE TENHO FEITO QUE ESTÁ DESAGRADANDO A DEUS?
OBSERVE OS ERROS DE ACAZ E REFLITA EM TI?
A DESOBEDIÊNCIA, uma das coisas mais comuns que vemos e fazemos contra DEUS, desobedecemos de varias formas, tanto que as vezes sequer percebemos, desobedecemos quando colocamos em dúvida a palavra, quando negamos nosso próximo, quando negamos a DEUS pelo simples fato de não termos coragem de dar mérito a ELE, diante de pessoas que julgam que somente os "evangélicos"o fazem isso é uma inverdade pois todo cristão verdadeiro deve glorificar e dar mérito somente a DEUS, em todo tempo em todo local, isso não quer dizer que seja preciso gritar, escandalizar pois pode estar sendo hipócrita e não cristão, através de suas atitudes seja elas dignas em todo lugar.
Veja que tudo o que levou ACAZ desde o inicio a provocar a DEUS foi seu descaso na palavra a adorar outros deuses, a agradar os homens e não a DEUS, portanto amados irmãos atentem-se para o que estão fazendo, como estão agindo tanto nas pequenas, como nas grandes coisas confiadas a ti, ao que lhe rodeia tanto com pessoas, como com afazeres.
Lembre-se vós sois escolhidos, então deem o seu melhor, e terás as bençãos que para ti estão preparadas.
Não é fácil quando se está só, porém quando você diz sim tudo fica possível pois DEUS estará a frente, e você não estará mais só e sim com o PAI dos pais.
A ESCOLHA É SUA SOMENTE SUA

A PAZ
Pra Lurdinei

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Ministério Infantil e Reciclagem: História - FLOR DA HONESTIDADE / Atividades Flor de palito de dente, isopor

A FLOR DA HONESTIDADE
Conta-se que por volta do ano 250 a.C, na China antiga, um príncipe da região norte do país, estava às vésperas de ser coroado imperador, mas, de acordo com a lei, ele deveria se casar.
Sabendo disso, ele resolveu fazer uma "disputa" entre as moças da corte ou quem quer que se achasse digna de sua proposta.
No dia seguinte, o príncipe anunciou que receberia, numa celebração especial, todas as pretendentes e lançaria um desafio.
Uma velha senhora, serva do palácio há muitos anos, ouvindo os comentários sobre os preparativos, sentiu uma leve tristeza, pois sabia que sua jovem filha nutria um sentimento de profundo amor pelo príncipe. 
Ao chegar em casa e relatar o fato à jovem, espantou-se ao saber que ela pretendia ir à celebração, e indagou incrédula:
- Minha filha, o que você fará lá? Estarão presentes todas as mais belas e ricas moças da corte. Tire esta idéia insensata da cabeça, eu sei que você deve estar sofrendo, mas não torne o sofrimento uma loucura.




E a filha respondeu: - Não, querida mãe, não estou sofrendo e muito menos louca, eu sei que jamais poderei ser a escolhida, mas é minha oportunidade de ficar pelo menos alguns momentos perto do príncipe, isto já me torna feliz.
À noite, a jovem chegou ao palácio. Lá estavam, de fato, todas as mais belas moças, com as mais belas roupas, com as mais belas jóias e com as mais determinadas intenções. Então, finalmente, o príncipe anunciou o desafio:
Darei a cada uma de vocês, uma semente.
Aquela que, dentro de seis meses, me trouxer a mais bela flor, será escolhida minha esposa e futura imperatriz da China. A proposta do príncipe não fugiu às profundas tradições daquele povo, que valorizava muito a especialidade de "cultivar" algo, sejam costumes, amizades, relacionamentos etc... 
O tempo passou e a doce jovem, como não tinha muita habilidade nas artes da jardinagem, cuidava com muita paciência e ternura a sua semente, pois sabia que se a beleza da flor surgisse na mesma extensão de seu amor, ela não precisava se preocupar com o resultado. Passaram-se três meses e nada surgiu. A jovem tudo tentara, usara de todos os métodos que conhecia, mas nada havia nascido. 
Dia após dia ela percebia cada vez mais longe o seu sonho, mas cada vez mais profundo o seu amor.... Por fim, os seis meses haviam passado e nada havia brotado. Consciente do seu esforço e dedicação a moça comunicou a sua mãe que, independente das circunstâncias retornaria ao palácio, na data e hora combinadas, pois não pretendia nada além de mais alguns momentos na companhia do príncipe. 
Na hora marcada estava lá, com seu vaso vazio, bem como todas as outras pretendentes, cada uma com uma flor mais bela do que a outra, das mais variadas formas e cores. 
Ela estava admirada, nunca havia presenciado tão bela cena.   Finalmente chega o momento esperado e o príncipe observa cada uma das pretendentes com muito cuidado e atenção. 
Após passar por todas, uma a uma, ele anuncia o resultado e indica a bela jovem como sua futura esposa.
As pessoas presentes tiveram as mais inesperadas reações. Ninguém compreendeu porque ele havia escolhido justamente aquela que nada havia cultivado. 
Então, calmamente o príncipe esclareceu:
- Esta foi a única que cultivou a flor que a tornou digna de se tornar uma imperatriz. A flor da honestidade, pois todas as sementes que entreguei eram estéreis.
A honestidade é como uma flor tecida em fios de luz, que ilumina quem a cultiva e espalha claridade ao redor.
Base em texto de autor desconhecido

1- Contar a história e junto com a criança refletir sobre fatos como a honestidade, e fazendo perguntas como:

Por que a flor não nasceu e as outras tinham flores belas?

Porque o príncipe a escolheu?

Ela foi fiel ? Por que?

Ela teve fé? Como?

Você tem agido dessa maneira em tudo o que faz?

Vamos fazer isso a partir de hoje?

Quem gostou da história e porque?

2- Atividades
FAZER UMA FLOR DE ISOPOR, PAPEL E PALITO DE DENTE E LEVAR PARA MAMÃE OU ALGUÉM QUE VOCÊ AMA

Material

isopor cortado em circulo
papel sulfite cortado em forma de folha
palito de dente
cola
tinta guache









segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Ministério Infantil e Reciclagem: Receita de Cola Branca


Receita de Cola Caseira - Substitui a cola branca.


MATERIAIS:

- 2 xícaras de chá de água filtrada
- 2 colheres de sopa de farinha trigo
- 1 colher de sopa de vinagre branco

MODO DE FAZER:

Coloque para ferver 1 xícara e meia de água
Dissolva as 2 colheres de farinha de trigo em 1/2 xícara de água fria
Abaixe o fogo e, de uma só vez, derrame na água fervendo a farinha já dissolvida
Vá mexendo sempre, por mais ou menos 10 minutos (vai ficar como um mingau - se desprendendo da panela)
Desligue o fogo e acrescente 1 colher de vinagre. Mexa bem.
Se preferir pode passar pelo coador.
Deixe esfriar.
Pode ser guardada na geladeira por mais ou menos 15 a 20 dias, em pote fechado.


Essa cola pode ser usada na reciclagem com coadores de café, papel de seda, crepom, decoupage em mdf, enfim, substitui a cola branca, é  mais barato.

Excelente para quem trabalha com crianças e com dependentes químicos, pq ela não tem cheiro, além de ser muito macia para aplicar.

BOM INÍCIO DE SEMANA..POVO AMADO DE JESUS




Bom inicio de Semana
Amados de Jesus
Mais uma etapa se inicia...
Hora de encarar e começar de novo ...
Porque perguntas? DEUS DIZ:
Novas amizades ,novo emprego, tudo novo de novo, pois aquele barco é você...
O mar são as coisas que lançastes para de sua vida...
As ondas que vão e vêem e sua fé, sua esperança, sua coragem, atitude, força, crença...
Eu sou tudo o que há em ti, em sua volta, em seu ser...
Esperando que me chames...
Para lhe segurar e dizer-te ....
Filho porque demorastes tanto para se jogar em meus braços, se lançar em meus braços,
Aceitar meu amor, compreender que te AMO, entender que tudo que passas é para seu melhor....
Que jamais deixe te só e jamais deixarei, que tudo que quero é vê-lo crescer e ser forte..
Entregue seu barco a mim e verás....
Que levarei te onde jamais imaginou estar...
Sentiras o que jamais sentiu...
Não haverás ondas que seu barco não ultrapasse, nem mar que não navegue, pois quem
Comanda seu barco é o criador do mar...
Seu criador...
Seu Pai...
Seu amigo...
Basta que diga sim-SENHOR JESUS EM MINHA VIDA TU ÉS MEU ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR
EU SOU SUA DE AGORA EM DIANTE SENHOR COMANDE A MINHA VIDA. Comande o meu barco mestre....
FELICIDADES EM SUA NOVA ETAPA.... SERÁ BEM MELHOR QUE A PRIMEIRA...Bjs
Navegue sem medo pois agora estais na Mãos de quem tudo criou inclusive você ...
DEUS É BOMMMMMMMMMMM..EM TODO TEMPO O TEMPO TODO...



PRA LURDINEI

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Ministério Infantil e Reciclagem: História- O Pescador e o Anel do Rei/ Peixe de Garrafa Pet

Muitas vezes queridos encontraremos dificuldades em contar histórias pois elas se repetem, porém ao contá-las coloque DEUS  a frente, conte com o coração procure contar não somente como está escrito, mas as entrelinhas, tente fazer a criança viajar junto contigo na história, ser o ator da história, senti-la.

Versículo para Meditação e para ser inserido na história
Lucas 5 :5-6
E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.
E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede. 


De agora em diante somos todos pescadores de almas de homens, como através da palavra de DEUS, em nome do SENHOR JESUS, nada posso fazer sem JESUS EM MEU BARCO, EM MINHA VIDA, posso até ir tentar mas será frustante, porém quando JESUS está a frente é GLÓRIA, pode até demorar mas é VITÓRIA.
Onde serei pescador, na escola, na rua, com meus amigos, futuros amigos, através de minhas atitudes, falando e agindo com a palavra de DEUS. Se creio em DEUS, mostro que creio mesmo nas horas difíceis. Algumas atitudes são: não xingar, não condenar, não falar palavrões, não brigar, não fazer fofoca, não atrapalhar a aula, o amigo, respeitar a todos, fazer as tarefas, obedecer os pais, professores, lideres etc...
Não é fácil, mas é o correto, o melhor, o único caminho para DEUS.



O Pescador e o Anel do Rei

                                                     Conto popular 

Era uma vez um velho pescador que vivia cantando:
Canto: Viva Deus e ninguém mais / Quando Deus não quer / ninguém nada faz.

Mesmo quando sua pesca não era boa, ele cantava com muita fé e alegria a sua cantiga.
Canto: Viva Deus e ninguém mais / Quando Deus não quer / ninguém nada faz.

Um dia, o rei daquele lugar soube da existência do pescador e quis que ele fosse à sua presença, por não admitir que Deus podia mais que tudo no mundo... Esse rei era tão poderoso e orgulhoso, que achava que podia até mais que o próprio Deus!
E lá foi o pescador, subindo as escadas de tapete vermelho do palácio, cantando:  Viva Deus...

Diante do rei, o pescador não mostrou medo algum, e ainda reafirmou sua fé, cantando a mesma cantiga.
Então o rei disse:
Rei: Vamos verse Deus pode mais que eu, pescador!
Eis aqui o meu anel. Vou entregá-lo aos seus cuidados!
Se dentro de 15 dias você me devolver o anel, intacto, você ganhará um enorme tesouro, e não precisará mais trabalhar para viver.
Porém, se no 15° dia você não voltar com o anel, mando cortar a sua cabeça! Agora vá embora...
O pescador foi embora e na volta pra casa, cantava: Viva Deus...

Quando chegou em casa entregou o anel para a mulher que prometeu guardá-lo a sete chaves. Deixe estar que isso não passava de um plano do rei, que logo mandou um criado disfarçado de mercador, bater na casa do pescador, quando esteja havia saído para pescar.
Criado disfarçado: Ó de casa!
A velha senhora abriu a porta.
Criado: Minha senhora, sou mercador. Vendo e compro anéis. A senhora não teria aí pelas gavetas um anelzinho para me vender? Pago bem!
E mostrou muito dinheiro.
Velha: Não tenho não senhor. Aqui é casa de pobre. Não tem anel nenhum não.
Mas a velha ficou surpresa com tanto que o homem mostrava.
Acabou caindo na tentação, e vendeu o anel!

No fim do dia, o pescador voltou pra  casa cantando:  Viva Deus...

...Quando chegou em casa, soube do que havia acontecido e ficou desesperado.
Pescador: Mulher! Você não vendeu o anel não; você vendeu minha cabeça!
E foram correndo procurar o mercador pela floresta, pela estrada, pela praia, pela aldeia e nada...
Claro! À essa altura, o criado disfarçado de mercador já estava longe, e havia jogado o anel em alto mar, a mando do rei, para que nunca mais ninguém pudesse encontrá-lo.
E: o tempo foi passando...
Décimo dia...
O pescador, triste continuava cantando: (mais lento) Viva Deus...
Décimo primeiro dia...
E o pescador cantando e pescando...
Canto: (ainda mais lento) Viva Deus...

Até que no penúltimo dia, o pescador chamou a mulher e disse:
Pescador: Mulher, eu vou morrer... Amanhã, minha cabeça vai rolar. Vamos nos despedir, com uma última refeição. Farei uma boa pescaria. E lá foi o pescador, tristemente, cantando sem parar sua cantiga.
Canto: Viva Deus... (muito triste)

Pescou 50 peixes, 49 ele vendeu no mercado, e 1 levou para mulher preparar.
Ela caprichou no tempero e fez no fogão de lenha, aquele peixe que seria sua última ceia junto com o marido depois de tantos anos. Mastiga daqui, chora dali, pensa de lá, e de repente...
Pescador: (Se engasgando) O que é isso? Mulher (cospe o anel).
Eu não disse que Deus pode mais que todo o mundo?
Canto(bem animado): Viva Deus...

O pescador limpou o anel, e correu em direção ao palácio. Subiu a escadas de tapete vermelho cantando, fez uma reverência para rei, que perguntou todo poderoso:
Rei: E então, pescador? Aonde está o meu anel?
E o pescador, vitorioso:
Pescador: Está aqui, meu rei!
O rei ficou boquiaberto! Não conseguia acreditar...Teve de entregar o tesouro para o pescador. E até o rei teve que cantar:
Canto: Viva Deus e ninguém mais / Quando Deus não quer / Ninguém nada faz.

1- ATIVIDADE- AJUDE O PESCADOR ENCONTRAR O ANEL E ENTREGAR AO REI
LABIRINTO


2-ATIVIDADES - PEIXE DE GARRAFA PET

. material
garrafa pet
tesoura
tinta
papel preto para olho
fio de nylon

. corte o fundo da garrafa, depois corte as bordas fazendo um desenho de cauda do peixe, faça dois furos e passe o fio de nylon e amarre a argolinha da própria garrafa, grampei os lados e cauda, cole os olhos e pinte, pronto está pronto seu peixe.

Você pode pendurá-lo ou girar, pode também enfeitar o fio de nylon com missangas.






Divirta-se
A PAZ